//46 – Em RESISTENCIA, no dia da independência da Argentina

46 – Em RESISTENCIA, no dia da independência da Argentina

As Cordilheiras dos Andes estão ficando para trás. Depois de ultrapassarmos 12 vezes as temidas montanhas, seguimos novamente rumo ao Leste.

Por indicação errada de um policial, tomei a rodovia errada e deixamos de conhecer mais um ponto turístico da Argentina. Quando percebi que estava na rodovia errada, achei inviável retornar. Segui em frente e a coisa piorou. A estrada estava cheia de buracos, sem acostamento e muito movimento. O percurso de 60 quilômetros foi feito muito devagar, desviando dos maiores buracos, até que chegamos na pequena cidade de Pampas do Inferno.

Não! eu não estou xingando. Este é realmente o nome da cidade.

Dormimos uma noite no posto de gasolina e seguimos para Corrientes.  Passeamos pela cidade, que tem um belo litoral de rio, mas a atração da cidade é mesmo os painéis espalhados pelas praças.

Procuramos por um camping e recebemos uma informação que havia um na beira do rio, estava fechado. Outra informação sobre um parque afastado da cidade e lá fomos nós. O lugar é muito bonito, mas o guarda parque disse que estava proibido pernoitar e nos indicou uma chácara onde poderíamos pernoitar.

O caminho foi difícil, não gostamos do lugar e voltamos pela estrada estreita, cheia de galho, que deixaram alguns riscos na Caca.

Passamos novamente pela ponte, que tem um pedágio. Quando fui pagar, o rapaz me disse que eu já havia passado por ali naquele mesmo dia e não precisava pagar novamente.

Voltamos para Resistencia, uma cidade maior e lá sim havia um belo camping, quase no centro da cidade, com toda infra estrutura e gente simpática para nos receber.

Era dia 25 de maio, feriado Nacional, Dia da Independência da Argentina.

Até 1810, o atual território onde hoje é Argentina, era governado pela Espanha. Eles não ficaram somente no grito de

“Independência ou Morte”

Foram para a guerra e venceram a batalha contra a Espanha, que durou 15 longos anos, até a independência total. Somente em 1826, as Províncias Unidas, passou a se chamar República Argentina.

A guerra foi longa por que os espanhóis não queriam perder a montanha de “argentum”, que em latim, significa “prata”. O motivo da guerra também foi usado para o nome do novo País,

Argentina.

Não foram somente as Províncias Unidas que lutaram na guerra da independência. A Colombia, o Chile e o Peru também lutaram contra os espanhóis

Hoje a República Argentina tem quase 43 milhões de habitantes, sendo que mais da metade vive em Buenos Aires e região metropolitana. O País ficou divido em 23 províncias e o Distrito Federal.

Resistencia é um nome símbolo da grande luta pela independência e, como em todo País, 25 de maio é dia de desfile.

Na praça principal se reuniram autoridades e a população para acompanhar o desfile das etnias, escolas, fundadores e forças armadas.

O País tem uma Taxa de Analfabetismo de 2%, muito rico na preservação de sua história. Contam que os primeiros habitantes viveram na região há 13 mil anos e chegaram da Ásia. Estudos arqueológicos sugerem que os chineses já estiveram por aqui bem antes dos europeus. Pouco se sabe sobre os chineses na América do Sul. Conta a lenda que eles abandonam a região e apagaram quase todas as escritas que registraram nas explorações.

Depois dos chineses os índios nativos tomaram conta até a chegada dos europeus para saquear as riquezas naturais, deixando suas culturas impregnadas.

A partir do século XVI, a Espanha colonizou várias regiões da América, com foco na exploração dos recursos naturais e minerais das áreas dominadas. Os incas, os astecas, os maias e outros nativos, foram dominados e obrigados ao trabalho forçado.

Os portugueses já estavam subtraindo a prata da região, quando chegaram os espanhóis, que se uniram com os nativos e expulsaram os lusitanos. Os holandeses e os franceses também tentaram ficar com uma fatia do bolo de prata. O Reino Unido, como sempre, deixou a poeira baixar, enviou soldados de apoio e ficou com boa parte da exploração comercial, como ferrovias e portos. Também ficaram com pequenas partes da Patagônia e com todas as  Ilhas Malvinas.

Em 1810 a República Argentina iniciou o caminho da unificação, concluído no dia 09 de julho de 1816 com a libertação da Nação. A independência total da coroa espanhola, foi aprovada no Congresso em 1826 que, após a primeira Constituição, passou a chamar Argentina.