//48 – SIENA – ITÁLIA

48 – SIENA – ITÁLIA

 

 

Chegamos em Siena já quase escurecendo, transito nervoso e poucos estacionamentos. Me aproveitando da placa de fora, fui entrando pelas ruas do centro onde somente veículos autorizados pode entrar, sob constante protestos da Ade, dizendo que eu não deveria entrar. Fui, até que consegui estacionar a carrinha bem próximo ao centro, na área medieval da cidade.

Descemos e já avistamos a “Piazza del Campo”, onde está também a enorme “Torre del Mangia”, um enorme espaço cercado por belas edificações.

Nesta praça acontece duas vezes por ano uma corrida de cavalos, “Palio de Siena”, que reúne multidões para assistir a perigosa corrida pelas pedras da grande praça.

 

Segundo a mitologia romana, Siena foi fundada por Sénio, filho de Remo. Pela cidade pode-se encontrar várias obras de arte com a loba amamentando seu pai e seu tio, mas esta história fica para depois. 

A cidade conta muitas histórias da religião, como a de Catarina Benincasa que peregrinou com Jesus Cristo e do franciscano São Bernardino que fez efusivos sermões na praça central, provocando tanto fervor religioso e devoção ao nome de Jesus, que o Conselho Municipal decidiu colocar o monograma do nome de Jesus, composto pelas letras IHS, que significa “Jesus salvador dos homens”, nas fachadas dos prédios do governo. Do mesmo modo, muitos moradores também colocaram o monograma na fachada de suas casas, como pode ser visto ainda hoje por toda a cidade.

Ficamos encantados com a cidade, aconchegante, movimentada e romântica, a meia luz e flores nas janelas e nas mesas dos bares.

Passeamos pelas ruas, fazendo marketing do Moka Clube, empresa de café gourmet de nosso filho Hugo, em Curitiba, servindo os amantes desta deliciosa bebida, consumida no mundo todo, com os melhores cafés do Brasil. 

Os italianos ficam sempre muito agradecidos quando oferecemos o cartão de visitas do Moka Clube, assinaturas e vendas de café gourmet.

 

 

Conhecemos o Santuário e a “Basílica Cateriana San Domenico” e chegamos já noite, na “Cattedrale di Siena”.

Em frente a igreja uma escultura em bronze,  “Vighen Avetis”,  “La madre de Armênia”, em memória de um massacre ocorrido em 1.915, naquele país.

Siena encanta também pelos vários bairros, cada um com características diferentes, alguns modernos e a maioria muito antigos, alguns muralhados. 

Os castelos estão espalhados pela cidade toda. Andando com a carrinha, não demorava avistávamos um castelo, ou uma igreja ou uma enorme muralha.

 

 

 

Voltando para casa algo estranho aconteceu. Nossa amiga portuguesa GPS, simplesmente nos levou por uma rua sem saída, um beco apertado em uma pequena cidade e parou de funcionar.  Ainda bem que a carrinha é pequena e versátil. Parei, desliguei a portuguesa, liguei novamente e ela voltou a funcionar e nos levou para casa no caminho correto.