prevence.rocco@gmail.com

9. Nosso quintal em Porto Seguro

Uma casa com rodas é um dos sonhos mais cobiçados por quem gosta de viajar. Alem da mobilidade que proporciona, também é opção para viver estacionado, como numa casa fixa, com vizinhos e quintais sem

8. Passeios Compartilhados

Na região de Porto Seguro, onde o Brasil foi descoberto segundo a lenda do Cabral, existem muitas histórias e belezas naturais.  Mesmo com a dificuldade de movimentar a casa rodante, estacionada como casa fixa, existem

7. Casa Fixa em Porto Seguro_parte II

Nossa vida de campista morando na casa rodante como se fosse casa fixa, nosso lar-doce-lar no mesmo quintal, continua no ritmo da Bahia, feliz e lenta. Nossa rotina é caminhar pela praia, tomar banho de

6. Casa Fixa em Porto Seguro_parte I

Viajar é muito mais do que chegar ao destino. No caminho tem muitas fontes de convívios e atrações que produzem conhecimento e felicidade, que devem ser considerados. A placa na rodovia chamou a atenção e

5. Pedra Azul, que também pode ser verde, cinza, marrom…

Nossa alimentação não é problema, nós fazemos nossa comida. Até com a casa rodando pelas estradas é possível seguir degustando sabores regionais. Queijos, paçocas, açaí, torresmo, chocolates, frutas fazem parte do nosso caminho. Algumas vezes,

4. A Cafeteria aos pés do Pico da Bandeira

Pela rodovia que liga Belo Horizonte a Vitória, muito movimentada, com grande trecho em péssimas condições, paramos na Passarela do Queijo, com variedade de artesanatos, queijos, bebidas, lanches, refeição e um simpático atendimento. Provamos vários

3. Inhotim, o maior museu a céu aberto do Planeta

No caminho para conhecer Inhotim, seguimos antes para Belo Horizonte prestigiar um casal de amigos virtuais, que estavam fazendo uma palestra contando um pouco da vida nômade que escolheram.  Renato é fotógrafo e a Gloria

2. Capitólio, a porta de entrada da Serra da Canastra

Minas Gerais abriga, sem duvidas um dos povos mais hospitaleiros do Brasil. A simplicidade peculiar, a culinária exuberante e as belezas naturais, fazem do Estado um dos melhores do País para quem gosta de passeio. Entramos

1. Angra dos Reis, a cidade das ilhas

Lá vamos nós rumo a Angra dos Reis, um município  no Estado do Rio de Janeiro, originalmente habitada pelos índios, antes da chegada dos portugueses em 1502. Angra significa uma enseada largamente aberta, com costas próximas e

1. Agradáveis compromissos depois do trabalho

Terminamos a expedição pelo sul do mundo, entrando no Brasil pelo Mato Grosso do Sul, rumo à Itaquiraí participar do casamento do nossos sobrinhos Diego e Kalline.  No dia o Brasil estava no ápice de

2. Impeditivos de sonhos

Quando você se propõe a a realizar um sonho é preciso empregar muita dedicação e atitudes certeiras no planejamento. Um sonho com viagens, como qualquer outro sonho, não deve se apagar enquanto houver condições para

3. Férias com os netos

Durante uma expedição de longa duração, sempre bate uma vontade louca de voltar para rever as pessoas que amamos. Dois em especial, nos chamam de volta, quase sempre. São os nossos netos Sophia (7) e

4. A fama

Nossa fama chegou por conta do blog. Brincadeira. Ainda não é fama, foram pequenas aparições na mídia coletiva que muito nos orgulhou. Fomos convidados para participar de um programa de televisão, aparecemos em uma revista

5. A padroeira e a metrópole do Brasil

Estando em Aparecida para uma entrevista na TV, não poderíamos deixar de visitar novamente e registrar um pouco sobre o segundo maior santuário do mundo, a Catedral Basílica de Nossa Senhora da Aparecida O santuário

6. Festa Peão do Boiadeiro de Barretos

Nossos amigos de Ibiúna, Zé e Semiramis, aceitaram nosso convite e seguimos juntos participar da Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos, interior de São Paulo. Como sempre em nossas viagens, o caminho é aproveitado da

7. Campismo, pra que te quero?

Dentre as diversas formas de campismo que existe, destaco as realizadas em casas sobre rodas. Quem tem motorhome, motorromeiro, tem sempre muita história para contar. Grupos organizados em associações ou ao simples comando de um

8. Blumenau, um pedaço da Alemanha no Brasil

Dentro do nosso novo roteiro de conhecer grandes festas brasileiras, aportamos em Blumenau, um dos pedaços da Alemanha no Brasil, terra Oktoberfest, no Vale Cerveja, em Santa Catarina, sul do Brasil. Fomos muito bem recebidos

9. Dono do Próprio Tempo

Para ser nômade temporário é preciso ter tempo. Ser dono do próprio tempo é não ter compromissos com a rotina dos filhos, netos, empresas, empregos, animais ou com a casa própria. Ser dono do próprio

expedição III – 1. MOTORHOME PELAS AMÉRICAS

Estamos encantados com a vida nômade depois do trabalho. Primeiro de moto pelo Brasil, depois de carro pela Europa e agora chegou a vez do motorhome pelo restante das Américas. Vamos conhecer o continente latino

2 – PLANEJANDO A EXPEDIÇÃO

Sonhar com grandes expedições é fácil. Tornar o sonho em realidade requer muita concentração nos objetivos e meses de trabalho até o momento da partida. Durante o tempo, os planos podem até mudar, mas o

3 – TRANSFORMANDO O SONHO EM REALIDADE

Planejar uma expedição requer atenção especial na escolha do meio de transporte. Para nossa primeira viagem de longa duração, que foram 11 meses conhecendo os encantos naturais do Brasil, escolhemos uma motocicleta. Foram 19 mil

4 – CHEGOU O DIA DA PARTIDA

Nosso ponto de partida foi Curitiba, onde moramos há mais de 30 anos. Nossa cidade é conhecida como a capital do frio, a capital da cultura, cidade sorriso e considerada de grande influencia na cultura

5 – PRIMEIRA FRONTEIRA DA EXPEDIÇÃO

Na nossa primeira divisa internacional a bordo da Caca, passamos pela aduana brasileira, sob olhares atentos dos agentes, mas não fomos parados. Na agitada cidade do Chui, onde uma avenida divide os dois países, que

6 – PUNTA DEL ESTE – GLAMOUR URUGUAIO

Chegamos em Punta del Este, passamos pelo centro congestionado por conta do verão e das festas de fim de ano. O balneário é considerado o mais luxuoso da América do Sul, superando Armação de Búzios

7 – REGIÃO DA FUMAÇA

Depois de uns dias em Punta del Este, retornamos rumo ao Brasil para visitar alguns pontos que deixamos para trás. Passamos pela Puente Leonel Vieira, nome do construtor da ponte, que também é conhecida por

8 – LA PALOMA – MAIS UMA PUNTA DO URUGUAI

A caminho de La Paloma, passamos por uma vinícola e resolvemos visitar. Meia volta, voltamos e entramos por um belo portal e uma bem cuidada plantação de uvas e oliveiras. Fomos até a recepção, ninguém.

9 – A ENCANTADORA PIRIÁPOLIS

Piriápolis fica depois da curva onde o mar vira rio. As águas doces do Rio da Plata nem sabem se é ou não um mar. Tem areia na orla e tem ondas nas águas, tal

10 – A NOVA VELHA MONTEVIDEO

Partimos rumo a Montevideo, seguindo pela Ruta Interbalneária, passando em várias praias e pequenas vilas, até que paramos por dois dias em Atlantida, um dos mais importantes balneários do Uruguai. A cidade possui uma boa

11 – A DISPUTADA COLÔNIA DO SACRAMENTO

Colônia é a cidade mais portuguesa do Uruguai. Aqui ainda tem os traços lusitanos na arquitetura da parte velha da cidade, nas casas, ruas e nos azulejos. Mas ela não é só velha. Evoluiu e

12 – TERMAS DO URUGUAI (I) – GUAVIYÚ

Para chegar na região das águas calientes uruguaias passamos por duas cidades com nome de mulher, Dolores e Mercedes. São cidades grandes para um País pequeno, com poucas árvores, poucas sombras e um calor acima dos

13 – TERMAS DO URUGUAI (II) – DAYMÁN

Saímos da Ruta 3 e entramos numa estrada cheia de buracos, que nos levou até o Monumento em homenagem ao grande herói nacional, General Artigas, o salvador da Pátria. Fiquei impressionado com o tamanho do

14 – TERMAS DO URUGUAI (III) – ARAPEY

Não visitamos todas as piscinas de águas termais nas regiões de passando e Salto, mas não poderíamos deixar de conhecer a mais famosa. Seguimos mais 100 km até chegarmos nas Termas del Arapey, às margens de um

15 – DE VOLTA AO BRASIL

Calma! A terceira expedição depois do trabalho ainda não esta terminando. Voltamos para o Brasil para ir até os Correios, pegar nosso brinde, do primeiro patrocinador do nosso projeto. Como estávamos nas Termas de Arapey,

16 – NOSSA SEGUNDA FRONTEIRA

Depois dos chips da SkillSIM instalados, que nos ofertou internet ilimitada, fizemos algumas compras em Uruguaiana e adentramos a Argentina num dia de muito movimento na fronteira. Deixamos para trás mais uma vez a nossa

18 – MAR DEL PLATA, A CIDADE FELIZ

Chegamos em Mar Del Plata, a “CIDADE FELIZ”. O apelido vem desde a década de 50, quando os sindicatos elegeram a cidade para que os trabalhadores tirassem suas férias. Adquiriram ou construíram mais de 30

21 – BAHIA BLANCA E A FASCINANTE LAS GRUTAS

Em todas as estradas, a cada 50 quilômetros ou menos, encontramos bandeiras vermelhas e pequenas casinhas também vermelhas expressando forma de veneração popular. Não é do movimento sem terras, nem do PT e acho que muito

22 – PENÍNSULA VALDÉS PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE

Primeira parada para conhecer o Patrimônio da Humanidade foi em Puerto Madryn. Uma cidade às margens de uma da baias da Península Valdés. Puerto Madryn é a cidade do polvo, mas em espanhol. Traduzido para

23 – ARAUCÁRIA DE PEDRA, ANTES DA NOSSA TERCEIRA FRONTEIRA

Paramos um pouco para conhecer a cidade de Comodoro Rivadavia, uma das cidades mais importantes da Argentina, especialmente pela extração de petróleo e famosa por ter o maior gasoduto das Américas. Por todo lado se

24 – USHUAIA, O FIM DO MUNDO, SEGUNDO OS ARGENTINOS

Passamos pela balsa, adentrando o Chile, a terceira fronteira da nossa expedição. Por poucos quilômetros em solo chileno e logo chegou nova fronteira e entramos novamente na Argentina, seguindo o  caminho até o fim do mundo,

25 – VOLTA AO CHILE NA ENCANTADA PUNTA ARENAS

Deixando a Argentina, dormimos mais uma vez no Posto de Combustível da rede YPF e fica aqui nosso agradecimento e reconhecimento de excelência no atendimento, no preço, na disponibilidade de produtos e na localização. Sempre

26 – PUERTO NATALES – A TERRA DO MILODÓN

Puerto Natales é mais conhecida por ser a porta de entrada de turistas que chegam para conhecer o Parque Nacional Torres del Paine, mas não é só isso. A cidade com pouco mais de 20

27 – AS IMPONENTES TORRES DEL PAINE

Para chegar no Parque Nacional Torres del Paine, na Região de Magalhães e Antártica Chilena, partindo de Puerto Natales, segue por uma estrada de rípio por 60 km, habitualmente. Como a estrada estava em manutenção,

28 – CAMINHANDO SOBRE O GELO EM PERITO MORENO

Para chegarmos em mais uma atração imperdível na Patagônia, deixamos novamente o Chile e voltamos para a Argentina, para visitar o Parque Nacional Los Glaciares.  No portal da cidade paramos para uma foto e o policial veio conversar

29 – EL CHALTEN, OUTRO MORRO DE MÁRMORE ROSA

Saímos da Ruta 40 e entramos para conhecer El Chaltén, apesar de muitos dizerem que não há muito o que se fazer por lá. Engano. El Chaltén é a cidade mais nova da Argentina e

30 – CATEDRAL DE MÁRMORE, ESCULPIDA PELA NATUREZA

Passamos por El Calafate, a cidade, jantamos uma desejada pizza regada a um bom vinho regional e dormimos no conforto de nosso lar, no posto da YPF que, como sempre, oferece uma bela estrutura para

31 – CARRETERA AUSTRAL, POR TERRA E POR MAR

A Carretera Austral, no Sul do Chile, entre Puerto Montt e Villa de O’Higgins, com 1.240 quilômetros é um grande desafio, repleta de perigos por conta da topografia natural e pela falta de pavimentação de grande parte da

32 – PUERTO MONTT – REGIÃO DOS LAGOS CHILENOS

Antes ainda de chegarmos em Puerto Montt, Ade viu uma noticia na internet e já alertou que queria ir embora logo. Fui me certificar da veracidade dos fatos em outros canais e deixei o rádio

33 – BARILOCHE, TAMBÉM CONHECIDA COMO BRASILOCHE

Passamos mais uma vez pela aduana chilena e seguimos tensos para a aduana argentina. São aproximadamente 30 km de estrada com asfalto entre as duas aduanas, que cruzam as maravilhosas e perigosas Cordilheira dos Andes.

34 – RUTA DOS 7 LAGOS, QUE NA VERDADE SÃO 11 (OU MAIS)

Paramos para almoçar na pequena e encantadora Villa La Angostura, típica para turístas, com loja de marcas famosas e muitas agências oferecendo passeios pela região, desde seguros passeios com vans até perigosos como escalada nas

35 – NO CAMINHO DOS DINOSSAUROS

Seguimos com o novo plano, distanciando um pouco mais da Cordilheiras dos Andes e a paisagem começou a mudar. As montanhas gigantes ficaram para trás e apareceram terras áridas, com montanhas mais baixas e vegetação

36 – NA ROTA DOS VINHOS ARGENTINOS, RUMO A MENDOSA

Partimos para o norte da Argentina, em busca de novas descobertas, pensando nos vinhos, azeites e azeitonas, riquezas da região de Mendosa. Seguimos por uma estrada sem graça, asfalto ruim, sem beleza natural por uns

38 – VALPARAISO, A TERRA DO POETA MAIOR

Deixamos a metrópoles de Santiago e seguimos para o litoral do Oceano Pacífico, na região de Valparaíso, terra do poeta maior Pablo Neruda. No caminho é impossível não entrar nas vinícolas. São muitas e ficam

40 – EMOÇÕES NO CARACOLES E NO ACONCÁGUA

Deixamos a Costa do Pacífico, dormimos em Los Andes e saímos cedo para aproveitar melhor a passagem pelas Cordilheiras dos Andes, pela Estrada de Los Caracoles que leva para Mendosa na Argentina. Paramos em alguns

41 – O VALE DA LUA ONDE VIVIAM DINOSSAUROS

Apesar de termos elaborado um planejamento antes de sairmos para nossa terceira expedição, novas opções de passeios surgem durante o caminho e nós procuramos aproveitar tudo. Mudar a rota para conhecer um parque, parar numa

42 – OS ENCANTOS COLORIDOS E SALGADOS DO JUJUY

Jujuy é uma província ao norte da Argentina, considerada um lugar único, muito diferente das demais regiões por onde passamos. Suas estradas percorrem relevos montanhosos, altitudes assustadoras, grandes contrastes térmicos diários, caminhos em caracóis, lagoas

44 – SALTA, LA BELA

Salta é uma cidade ao norte da Argentina, conhecida como “La Bela”, mas acho que nem tanto. A cidade conta histórias de 10 mil anos Antes de Cristo, com sucessivas migrações de povos. Antes dos

46 – Em RESISTENCIA, no dia da independência da Argentina

As Cordilheiras dos Andes estão ficando para trás. Depois de ultrapassarmos 12 vezes as temidas montanhas, seguimos novamente rumo ao Leste. Por indicação errada de um policial, tomei a rodovia errada e deixamos de conhecer

47 – Passando pelo PARAGUAI, voltando à Pátria Amada

Deixamos a Argentina depois de percorrer seus recantos mais belos e entramos no Paraguai pela Capital Assunção. Na fronteira entramos naquele tumulto costumeiro dos paraguaios. Um cambista ficou do meu lado e outro me ajudando a

Final da Expedição depoisdotrabalho pelo Sul da América do Sul

Completamos nossa terceira expedição nômade depoisdotrabalho pelo sul da América do Sul, à bordo da Caca, nosso lar-doce-lar. Durante 167 dias, rodamos mais de 24 mil quilômetros pelas estradas e carreteiras do Brasil, Uruguai, Argentina, Chile e Paraguai.

expedição II – DE CARRO PELA EUROPA

Planejar uma viagem requer pesquisa, esforço, dedicação e muita atenção até o horário do embarque. Os detalhes tomam conta do tempo e são fundamentais para quem pretende ficar fora de casa por aproximadamente 500 dias.

1 – CHEGANDO NA EUROPA

Nossa viagem começou agradável já a contar pelo trânsito fluindo bem de casa até o aeroporto, quando fomos conversando com amigos e parentes nós despedindo pelo telefone. Apesar da viagem ser a passeio e de

2 – NOSSA MORADA EM LISBOA – PARTE I

Eu, Ade e as irmãs Isabel, Neuci e Neuli, fomos para Sintra conhecer o Palácio da Pena. Uma gigantesca obra construída no alto de uma montanha, pertinho do céu, com uma visão privilegiada dos campos da região.  

3 – FÁTIMA, BATALHA E NAZARÉ – PORTUGAL

Saímos para conhecer Lisboa a noite e a cidade se mantém bonita com ruas bem iluminadas e uma sensação de segurança, de andar despreocupado, muito boa. Quase não se vê policiais patrulhando e as pessoas

4 – ÓBIDOS E ERICEIRA – PORTUGAL

Recebemos a visita de nossas três amigas para um café da tarde, com bolo caseiro de fubá e guloseimas da padaria, preparados pela Ade. Ficamos a tarde toda conversando e rimos muito com as histórias

5 – SESIMBRA, ARRABIDA E SETÚBAL – PORTUGAL

O dia 25 de abril é um dia de comoção nacional em Portugal. Em 2.014 o País comemora 40 anos do fim de uma ditadura, que foi imposta sob o comando de Antonio Oliveira Salazar

6 – CASCAIS – PORTUGAL

Saímos passear com nossa carrinha pela estrada litorânea e paramos para conhecer o imponente Cassino de Estoril. Em volta do Cassino muitas mansões e hotéis de luxo hospedam jogadores que aqui chegam de várias partes

7 – FIGUEIRA DA FOZ E AVEIRO – PORTUGAL

Pegamos a estrada com a nossa carrinha, mala pronta, sol a pique e lá fomos nós para viver em outras paragens ainda em Portugal. As rodovias de Portugal, pedagiadas, são de ótima qualidade. Além do

8 – MONTEMOR E COIMBRA – PORTUGAL

Fomos para Coimbra, principalmente para conhecer a Universidade mais famosa de Portugal, com sua imponente escadaria, reconhecida pelo mundo todo por sua excelência em formação acadêmica. No caminho para Coimbra, passamos por Montemor-o-Velho, pequena Vila do Distrito de

9 – SERRA DA ESTRELA E GUARDA – PORTUGAL

Rumo a Serra da Estrela, no centro-leste de Portugal, passando por dezenas de pequenas Vilas, algumas com nomes engraçado, como por exemplo: Brasfemes, Penacova, Folhados, Torrozelo até pararmos em Seia, no pé da serra, para

10 – MADRI (I) – ESPANHA

Cruzamos a fronteira de Portugal com a Espanha por rodovias de excelente qualidade e com poucos veículos transitando. Caminhões são raros. Paramos para um lanche, um breve descanso e seguimos viagem passando por cidades que

11 – SALAMANCA E ÁVILA – ESPANHA

Saimos cedo com nossa carrinha rumo a Salamanca, conhecida como “La Dorada”. O título se deve ao fato de o arenito utilizado na maioria das construções apresentar uma coloração levemente dourada clara, com tom pastel.  A cidade bem preservada,

12 – BARCELONA – ESPANHA

Saímos de Madri com chuva rumo a Catalunha, passando por belas estradas e montanhas imponentes, bem diferentes das que já vimos. Depois o sol apareceu e a viagem ficou ainda melhor. Até um pouco antes da

13 – GENÉBRA – SUÍÇA

Deixamos a Espanha pela porta da Catalunha, entrando na França, rumo a Suiça, nosso novo endereço no velho continente. Ainda voltaremos para a Espanha assim que completarmos o roteiro de Férias com Paula. Até breve

14 – CHAMONIX E DIJON – FRANÇA

Blusas, boné e gorros na bagagem e lá fomos nós conhecer os Alpes Franco/Suiços, na charmosa cidade de Chamonix, um encanto com suas ruas estreitas, lagos gelados, toda arborizada e um rio de águas cinza esverdeada que cruza

15 – LUXEMBURGO – LUXEMBURGO

No rumo da Bélgica, resolvemos parar para conhecer um dos menores países da Europa, Luxemburgo, cuja capital tem o mesmo nome.  Luxemburgo é um dos países mais ricos da Europa, e sua capital é um

16 – BRUXELAS – BÉLGICA

De Luxemburgo até Bruxelas, a estrada com três pistas, asfalto impecável é toda iluminada. Achei desnecessário estrada iluminada, mas fica bonito.  Chegamos em Bruxelas por volta das onze horas da noite e o clarão do

17 – AMSTERDAN – HOLANDA

Arrumamos as malas e saímos sem despejo, rumo a Holanda, seguindo por estradas fantásticas, sem pedágios, com belos pontos de parada para abastecimento e lanches, para nossa nova morada em Amsterdam. Seguir por estradas da Bélgica

18 – LONDRES – INGLATERRA

Levantamos cedo para pegar a Van que levou a gente do hotel até o aeroporto. Lá encontramos com a Rose, dia de sol, saímos de Amsterdam às 9:55 e chegamos em Londres às 9:55. Com

19 – LIVERPOOL – INGLATERRA

Partimos de Londres e seguimos para Liverpool, viajando no trem elétrico, confortável, sem ruídos, rápido, com banheiros limpos e ergonômicos, com mesa de centro entre duas poltronas, com lanchonete à bordo, tudo isso na segunda classe. 

20 – GLASGOW – ESCÓCIA

  O trem elétrico é mesmo fantástico e eu gostaria muito que o Brasil contasse com centenas deles circulando por todo País. Na rede férrea que passamos, possui três pares de trilhos. Um vai, outro vem

21 – EDIMBURGO – ESCÓCIA

No trem elétrico, novamente ficamos maravilhados com o conforto e a beleza da viagem. Chegamos em Edimburgo 50 minutos depois de embarcarmos. Trens partem a cada 30 minutos de Glasgow para Edimburgo. Chegamos na bela estação

22 – PARIS – FRANÇA

Vôo tranquilo de Edimburgo até o Schiphol, aeroporto de Amsterdam, onde pegamos um trem, mais confortável que o avião, rumo a Utrecht – Holanda, pegar nossa carrinha que ficou na casa da mãe da Rose. No aeroporto de

23 – MADRI (II) – ESPANHA

Chegou a hora de despacharmos a nossa querida, amável, alegre, companheira, inteligente, esperta, bonita e agradável filha Paula. Foram mais de 30 dias que passamos juntos e na hora da partida, o choro foi incontido. Apesar

24 – BORDEAUX – FRANÇA

Chegamos em Bordeaux, para nos instalarmos no Apart Hotel que alugamos e o dilema foi grande. O francês da recepção não falava espanhol e nem inglês. Foi uma conversa de desentendidos, mas ao final nos entendemos.

25 – SAINT ÈMILION – FRANÇA

Fomos conhecer a cidade de Saint Èmilion, famosa pela sua arquitetura medieval e pelos vinhedos espalhados em toda a sua região. São os maiores vinhedos da Europa, com cerca de 60 mil produtores.  No caminho,

26 – ROYAM E ILHA DE OLÉRON – FRANÇA

Dia com muito calor e lá fomos nós conhecer as praias da região norte, na bela cidade de Royam, seguindo até a Ilha de Oléron . Na estrada paramos para conhecer uma destilaria e provar

27 – BILBAO E PAMPLONA – ESPANHA

Saímos de Bordeaux e fomos pelas rodovias não pedagiadas, próximas do mar, passando pelas pequenas cidades e vilas, observando a vida comum dos moradores da França e da Espanha. Paramos em alguns lugares bonitos para contemplar

28 – MONCAYO E ZARAGOZA – ESPANHA

Saímos de Bilbao com destino ao Parque Nacional de Moncayo, onde alugamos um apartamento na pequena cidade de Vera de Moncayo.  Procuramos trafegar por estradas secundárias, muito bem preservadas também, para passar por dentro das

29 – VALÊNCIA – ESPANHA

Saímos da terra da bruxas do Moncayo, ainda bem, e fomos para Valência, seguindo por estradas secundárias, novamente passando por pequenas vilas. Pequenas mesmo. Algumas em dois minutos termina e gente, raramente vimos. As pequenas

30 – MONTSERRAT – ESPANHA

Valência foi um encanto, ficamos por 20 dias e saímos com gostinho de querer ficar mais, mas novas aventuras já estão programadas.  Em breve vamos voltar a Valência, mas as estradas nos esperam e sempre

31 – TARRAGONA – ESPANHA

Fomos conhecer Tarragona, uma cidade milenar que foi fundada pelos romanos, tomada pelos árabes, depois pelos franceses e deixada para os espanhóis. O centro histórico é cercado por uma muralha, onde quase tudo ainda remete

32 – TOULO– USE E CARCASSONNE – FRANÇA

Pelas curvas da serra, descendo o médio Pirineus, a velocidade é de 60 km/h. São muitas curvas fechadas e alguns motoristas abusam, colam na traseira e ficam provocando para que você aumente a velocidade.  Na serra

33 – ANDORRA A-VELHA – PRINCIPADO DE ANDORRA (verão)

Pelas belas estradas entre as gigantes montanhas dos Pirineus, deixamos a Espanha e adentramos o polêmico país cravado entre a Espanha e a França, chamado Principado de Andorra.    A cadeia de montanhas começa na

34 – CANNES E SAINTE MARIE – FRANÇA

Deixamos Toulouse e fomos rumo a Cannes, nossa nova morada, continuando nosso zig zag pela Europa, ainda no território francês. Sempre por belas estradas e velocidade controlada por todos os motoristas,  fomos parando onde havia

35 – GRASSE E SAINT TROPEZ – FRANÇA

Grasse é conhecida como a capital mundial do perfume. Além da faculdade de perfumistas, a cidade conta com três fabricas grandes e centenas de fabricantes artesanais. Pelas ruas, a cada 50, 100 metros, encontramos uma loja

36 – NICE – FRANÇA

  Seguindo para Nice, notamos uma festa e paramos para conhecer. Fantástico, emocionante, lindo.   A festa era medieval e tudo era de uma originalidade fantástica. Quando digo originalidade é por que quase tudo que tinha

37 – MONTE CARLO – PRINCIPADO DE MÔNACO

Continuamos nossa viagem, agora saindo da França e entrando no requintado Principado de Mônaco, sem fronteiras.         Em Monte Carlo, saímos a pé conhecer cidade, especialmente a Marina, o Cassino e o

38 – SAN REMO E TAGGIA – ITÁLIA

Saindo de Mônaco, entramos mais uma vez na França, na cidade de Menton, passamos pela fronteira sem fiscalização e, finalmente adentramos a Itália, destino recomendado por muitos que já visitaram a Europa.   Entramos pelo

39 – BADALUCCO E DOCEACQUA – ITÁLIA

    Paramos para tomar água em um restaurante e, conversando com o proprietário, descobrimos duas coisas: uma que muito fácil fazer amizades com os italianos e outra, que ele nos informou, que estava acontecendo uma

40 – GÊNOVA – ITÁLIA

  Partimos agora para desvendar a região de Gênova, ainda na região da Ligúria. Fomos pela estrada litorânea e percebemos que os italianos são especializados na escavação de túneis e cortes nas montanhas.  Até agora, uma

41 – PARMA – ITÁLIA

  Fomos conhecer Parma e a chuva não deu trégua. Passamos por uma montanha com curvas muito fechadas, alguns trechos só cabia um carro, forte neblina, até que pegamos a rodovia pedagiada e a segurança melhorou. 

42 – PORTO FINO – ITÁLIA

  Dia seguinte fomos conhecer um dos paraíso na Itália. O esplendido Porto Fino.  Para chegar até Porto fino, fomos com a carrinha mas não tinha lugar para estacionar. As poucas vagas estavam ocupadas e,

43 – CINQUE TERRE – ITÁLIA

  Fomos conhecer a famosa região de Cinque Terre, que se destaca pela beleza natural, pelas antigas vilas e pela qualidade dos trabalhadores familiares que viveram e ainda vivem na região. Conseguiram fazer suas plantações